terça-feira, 17 de maio de 2011

Greve do magistério neste 18 de maio


Na audiência do Grupo Gestor do Governo do Estado com o SINTE/SC, realizada na manhã desta 3ª feira, 17 de maio, o governo não apresentou qualquer proposta e deixou claro que reconhece o Piso como salário inicial, mas não na carreira. O Governo quer medir forças com os trabalhadores em Educação, apostando no enfraquecimento de nossa luta e de nosso movimento na busca de nossos direitos legitimamente conquistados.

O SINTE/SC foi firme e mostrou a disposição da categoria de iniciar a greve a partir deste 18 de maio para exigir que o Governo Colombo respeite a Lei do Piso, sancionada em 2008.

A GREVE é por tempo indeterminado e tem como objetivo pressionar o Governo Colombo de assumir compromisso com a Educação, valorizando o ensino gratuito, de qualidade e também os trabalhadores em Educação.

A lei está do nosso lado conforme julgou o Supremo Tribunal Federal que decidiu pela sua  constitucionalidade.  Na próxima segunda-feira, 23 de maio, teremos outra reunião com o Governo e esperamos que o mesmo apresente uma proposta concreta para ser avaliada pelo Comando de Greve e encaminhada às assembleias regionais que devem ser agendadas para a próxima terça-feira, 24 de maio,  com atos e manifestações para chamar a atenção da população sobre o descaso e a falta de compromisso do Governo Colombo com os professores e alunos da rede estadual.

Diante do quadro de descaso do Governo com o magistério e seus trabalhadores, vamos, a partir deste 18 de maio, fechar todas as escolas , lotar as assembleias regionais  e realizar a greve mais forte e aguerrida que nossa categoria já realizou neste estado.

Municípios como Lages, Criciúma, Jaraguá do Sul, entre outros já têm o Piso, mostrando que com a luta é possível conquistar o Piso.

Temos tradição na luta pela conquista de direitos dos trabalhadores do serviço público de Santa Catarina; são históricas nossas marchas na defesa da educação pública de qualidade. Neste momento, precisamos fortalecer nossa luta e exigir, definitivamente, que o governo assuma seu compromisso com a Educação, respeite a lei e implante o Piso nacional do Magistério em Santa Catarina, sem alteração no Plano de Carreira.

Nota divulgada pelo SINTE - Sindicato dos Trabalhadores em Educação na Rede Pública do Ensino do Estado de Santa Catarina.

4 comentários:

sueli disse...

EU SÓ GOSTARIA QUE FICASSE CLARO SE ESTE PISO É PARA TODOS OS FUNCIONÁRIOS DO MAGISTÉRIO, COMO ATPs,ESPECIALISTAS,...OU SOMENTE AOS PROFESSORES. PORQUE SÓ HOUVE FALAR EM PROFESSORES E OS OUTROS PROFISSIONAIS. COMO POR EXEMPLO OS ATPs QUE PRESTARAM CONCURSO PARA A GERED E SÃO EFETIVOS LÁ E FAZEM PARTE DO QUADRO DO MAGISTÉRIO. O QUE DIZ A LEI?
OBRIGADA.
SUELI

Elina disse...

Olá Sueli,
Tem direito ao reajuste ou pagamento, todos os profissionais do magistério público com salário inferior ao piso. Entende-se por esta categoria todos aqueles que desempenhem atividades de docência ou de suporte pedagógico à docência no âmbito das unidades escolares de educação básica (direção ou administração, planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenação educacionais). Espero ter ajudado. Volte sempre e contribua com o Blog. Um abraço,

EEB Agar Alves Nunes disse...

Olá Elina, parabéns pelo Blog. Seja seguidora do Blog de nossa Escola Agar Alves Nunes de Otacílio Costa-SC. Também estamos na luta companheira-professora!!!!!!!!!

Elina disse...

Obrigada!
Vamos nos unir então pela causa.
Serei seguidora sim.
Um abraço,